Audiência, desempenho, fatores que contribuíram para o fracasso ou sucesso das telenovelas brasileiras e mexicanas exibidas dentro da faixa das “Novelas da Tarde” do SBT nos períodos de 2010 (retorno) a 2017 (atualmente)

– Para melhor compreensão, leia o Texto anterior: Crítica – Reprise de novelas: O que realmente vale a pena ver de novo? (clique aqui)

2010


Pérola Negra – Reprise de 2010

Bom tempo para exibição anterior (que foi muito bem e liderou). Abriu a primeira faixa. Comédia recebendo dos seriados de comédia, Aproveitaram  o público da entrega e funcionou.

5 pontos: Sucesso (primeira da faixa e meta da época) 


Esmeralda – Reprise de 2010

Bom tempo para exibição anterior (que foi muito bem e chegou aos 20 pontos à noite). Fenômeno de audiência na primeira exibição. O público pedía para rever.

6 pontos: Sucesso (liderou, prejudicou “Sete Pecados” da Globo – foi a primeira da faixa e já superou a meta).


2011

Maria Esperança – Reprise de 2011

Bom tempo para exibição anterior. Exibição original (2007) fracassou (tudo nesse ano não passava dos 5 pontos). Combinava com o gênero da antecessora (a dobradinha seria utilizada com sucesso anos mais tarde). Combina com as tardes.

5 pontos: Sucesso (as antecessoras foram perdendo décimos ao longo das exibições).


Uma Rosa com Amor – Reprise de 2011

Exibida meses depois de seu fim no horário nobre (escalada às pressas para substuir “Camaleões”, que foi obrigada a sair do ar pelo Ministério da Justiça). Imagem ótima em HD. Comédia romântica substituindo novela jovem. Entrou na faixa das mexicanas às pressas.

5 pontos: Sucesso (pegou com 3 pontos, entregou com 6).


Amigas & Rivais – Reprise de 2011

Bom tempo para exibição anterior (4 anos). Exibição original (2007) fracassou (tudo nesse ano não passava dos 5 pontos). Pior audiência de uma novela nacional na sua primeira exibição. Entrou na faixa jovial, recebendo das séries. É jovial e combinou. Moderna. Imagem boa. Clara para as tardes. Atual.

5 pontos: Sucesso (chegou a 7, manteve da antecessora – a sucessora despencou)


Cristal – Reprise de 2011

Tempo mais ou menos razoável da exibição original (5 anos). Moderna. Imagem boa. Clara para as tardes. Atual. Drama que dá certo na faixa. Elenco conhecidíssimo das novelas nacionais anteriores.

5 pontos arredondada: Bem.


Marimar – Reprise de 2011

Bastante tempo (7 anos) sem ser exibida (não estava saturada). Deixou saudades. A emissora há um bom tempo não exibia reprises mexicanas. Clássico (o povo conhece a história, então os 7 anos sem exibição não a tornou velha). Já havia tido uma reprise que liderava (os 7 anos serviram até pra deixar saudade, apesar da alta audiência da reprise de 2004). Curinga (sempre funciona se não está desgastada). Drama que funciona nas tardes.

7 pontos (durante um bom tempo a maior audiência da faixa – primeira a chegar aos 7 pontos gerais) Sucesso.


Fascinação – Reprise de 2011

Bastante tempo (7 anos) sem ser exibida. Já estava começando a ser esquecida (reprise a tempo). Já estava começando a ficar datada. É de época (no SBT essas não costumam funcionar facilmente no horário). Drama típico da faixa. Clássica. Já teve reprise anterior e foi bem. Substituiu novela moderna e atual (risco)

5 pontos (arredondada): Mediana (deu a meta arredonda, mas passou um tempo dando 4 pontos – pelos quesitos contra, pode-se dizer que foi bem).


Pícara Sonhadora – Reprise de 2011

Trama envelheceu, se tornou pesada e estranha no vídeo para a atualidade. Foi sucesso em reprise anterior.

3 Pontos: Fracasso (derrubou a audiência do horário em 2 pontos).


2012

Maria do Bairro – Reprise de 2012

5 anos sem reprise (deu pra ter saudades, até então era a preferida do público). Curinga (sempre funcionava). Teve uma reprise que liderava em 2004. Teve uma reprise precoce em 2007 (emissora em crise recorreu a novela). Clássica. Não estava desgastada. História que todos conhecem. Famosa. Substituiu novela igual. Típico enredo de sucesso. Entrou no ar com o horário em alta.

 7 pontos: Sucesso.


Marisol – Reprise de 2012

5 anos sem reprise. Sucesso retumbante na primeira exibição (beirou os 30 pontos na reta final). Fracasso total (3 pontos) na primeira reprise (“2007” fez vítimas). Novela típica do horário. Mesma pegada das anteriores que haviam funcionado. Protagonista em alta em reprise de outra novela recentemente (Maria Esperança). Quase ficando estranha no vídeo na época (reprise a tempo). Edição deixou ágil (Se tornou interessante).

5 pontos: Sucesso (subiu da antecessora).


Pequena Travessa – Reprise de 2012

Nunca foi um estouro em audiência. Ficou ultrapassada, a história de menina que se veste de menino, não fica diferente e ninguém percebe não cola na atualidade.

4 pontos: Fracasso (apesar de ter subido 1 ponto da antecessora, não bateu a meta não voltando aos 5 pontos).


Maria Mercedes – Reprise de 2012

Há 15 anos sem ser exibida e lembrada apenas por pertencer a famosa trilogia das Marias. Com um remake recente (Maria Esperança) reprisado diversas vezes. Qualidade de imagem drasticamente deteriorada, esverdeada, escura, manchada.

5 Pontos: Fracasso (Derrubou a faixa em 2 pontos).


Canavial de Paixões – Reprise de 2012

Com diversas exibições coladas, um sucesso nacional passou batido na última exibição. Desgastou. Público não pediu, nem sentia mais saudade.

4 pontos: Fracasso.


Gotinha de Amor – Reprise de 2012

Imagem mediana. 11 anos sem exibição. Funcionou melhor por ser exibida após a faixa de seriados infanto-juvenis na época, manteve um público próximo.

5 pontos: Mediana (voltou a meta de 5, mas caiu bastante a audiência no final – de 6 para 4).


2013

Jamais te Esquecerei – Reprise de 2013

Poucos lembram que existiu. Novela lenta para atualidade. Não chegou nem perto de ser sucesso na primeira exibição.

3 pontos: Fracasso (Caiu 1 ponto da antecessora, que já não entregou bem)


A Usurpadora – Reprise de 2012

Entrou para continuar a faixa de clássicos do último horário. 5 anos da exibição anterior (descansou). Clássica (deixou saudades). História conhecida. Famosa. Não estava desgastada.

6 pontos: sucesso (pegou a faixa com 4 de Maria Mercedes – estreou em dezembro, época quente e de share baixíssimo – elevou a média do horário, as outras duas faixas sofriam para chegar aos 5).


Rosalinda – Reprise de 2013

A pior de Thalía. Não funcionou em nenhuma reprise apesar do sucesso da primeira exibição. 8 anos da reprise anterior (que também não foi bem).

4 pontos: Fracasso.


Rubi – Reprise de 2013

Exibida regularmente, porém sem reprises coladas uma nas outras. Lembrada pelo público. Pedida pelo telespectador. Imagem boa na ocasião.

7 pontos: Sucesso (subiu 1 ponto da antecessora, liderou diversas vezes na audiência – sendo a única até hoje a fechar em primeiro lugar na média geral de um capítulo) – repercutiu mais que na primeira exibição (a protagonista ficou famosa no Brasil)


Marimar – Reprise de 2013

Exibida um ano depois da última exibição que havia ido muito bem (reprise colada na outra). Ninguém queria ver novamente e tão rapidamente

5,5 pontos: Fracasso.


O Privilégio de Amar – Reprise de 2013

Nunca rendeu em reprises anteriores. Escura, visual pesado para as tardes, ultrapassada para a atualidade. Abriu uma faixa que até então não tinha novela antes (17 horas).

5 pontos arredondados: mediana (Começou mal, subiu no clímax, despencou novamente no final – audiência flutuante, dependia do desempenho das outras ou de acontecimentos fortes).


Carrossel – Reprise de 2013

Reexibida meses após o fim. Ninguém pediu.

6 pontos: Fracasso (a emissora esperava os mesmos dois dígitos da primeira exibição)

* Voltou 2 anos depois e bombou – deram um tempo necessário para causar saudade


Rebelde – Reprise de 2013

Fenômeno em primeira exibição, demorou quase 8 anos para voltar. (O público jovem cresceu e não acompanhou). O público teen atual não conhecia e pouco se interessou. A banda não estava mais em atividade simultânea para a história andar em paralelo.

5,5: Fracasso. (a primeira temporada chegou a marcar 7/8 pontos, a segunda caiu para 6, a terceira 4) – Nota-se que a novela cansa por ser longa).


Maria do Bairro – Reprise de 2013

Exibida novamente após 1 ano da exibição anterior. Cansou o público. Deixou de ser esperada para ser rejeitada por tanta reprise (7).

5 pontos: Fracasso.


A Madrasta – Reprise de 2013

Demorou a voltar (8 anos). Se tornou envelhecida e ultrapassada para a atualidade. Escura para as tardes. Estreou em época de calor excessivo e verão. (Recebia de “Por Ela Sou Eva” que marcava 3 e despencou a tarde inteira em até 2 pontos, contudo seguia sendo a maior audiência entre todas as novelas da época)

5 pontos arredondada: mediana


2014

Café com Aroma de Mulher – Reprise de 2014

9 anos sem exibição. Se sustentou pelo nome “inesquecível”,  e também a trilha famosa. Envelheceu. (já estava velha)

5 pontos: Mediana (substituiu uma faixa que há anos estava abaixo dos 5 pontos e entregou com 6, apesar dos 5 gerais arredondados)


Por teu Amor – Reprise de 2014

13 anos da exibição original. Ninguém pediu (só os fãs da Gabriela). O público-alvo não lembrava da existência / Datada. Ultrapassada. Imagem fosca.

4 pontos: Grande Fracasso.


Abraça-me Muito Forte – Reprise de 2014

12 anos da exibição original. Ninguém pediu. Ninguém lembrava. Imagem péssima. Envelhecida. Pesada no vídeo. A antecessora com os mesmos protagonistas não tinha ido tão bem a ponto de continuarem no horário (A Madrasta)

 4 pontos arredondados: Fracasso.


A Feia Mais Bela – Reprise de 2014

Apesar de 8 anos da exibição original, tem enredo e nome que estão sempre na cabeça do povo – a feia que fica bonita – além de ser associada com Betty a Feia e ter nome altoexplicativo. Exibição em HD com ótima qualidade de imagem.

 5 pontos: Sucesso (pegou a faixa com 3 e entregou com 7 e sendo comédia)


Esmeralda – Reprise de 2014

Tempo bom para a reprise anterior. Segunda reprise apenas. O público até hoje mostra vontade de rever. Drama típico das tardes. Nessa exibição se tornou curinga.

6,5 pontos: Sucesso (chegou a 9 pontos, liderou, saiu carregando todas as outras novelas que subiram até 2 pontos cada) 


2015

Maria Esperança – Reprise de 2015

Tempo bom para a reprise anterior (4 anos).

Combinou 100% com o estilo da antecessora (drama forte com protagonista central substituindo outro). História clássica. Típica novela que funciona no horário.

 7 pontos: Sucesso. (Subiu a faixa e foi a 9 pontos)


A Usurpadora – Reprise de 2015

3 anos da última reprise. Substituiu comédia. Imagem já estava ficando desgastada (mas não estava péssima). Um pouco precoce. Não haviam tantos pedidos para voltar. Pegou em alta das outras novelas (A Feia entregou o horário com 7, as das outras faixas estavam com o mesmo índice, conseguiu segurar). Estreou em época boa das novelas. Foi utilizada para fazer espera para a inédita “A Dona” (elenco parecido).

7 pontos: Sucesso (Manteve a audiência média que recebeu – 7 – cresceu 2 pontos na média geral da antecessora – 5 para 7 -).


Pérola Negra – Reprise de 2015

Tempo bom para a reprise anterior. Por ser de 97, a imagem estava bem desgastada em época de HD. Comédia substituindo drama forte.

Fracasso: 5 pontos (derrubou 2 pontos da anterior).


Maria do Bairro – Reprise de 2015

Dois anos da última reprise que não havia funcionado. Escalada para abrir uma nova faixa (não haviam novelas no horário que perdia para a Record pelo dobro). Ninguém pediu. Estava saturada. Cansou.

5,5: mediana (por ser em horário local e sem divulgação alguma, desgastada e ter diminuído a diferença que a Record abria no horário – terminou com 7 – cancelaram a faixa que voltou a cair para 5 com séries).


Cuidado com o Anjo – Reprise de 2015

Nem muito antiga, nem muito recente da última exibição, tempo bom. Chegou a liderar na primeira exibição. Sucesso recente (não foi mega reprisada). Drama estilo das que foram bem na faixa:

 7 pontos: Sucesso (chegou a 9 pontos)


A Mentira – Reprise de 2015

Voltou 16 anos depois. Ninguém lembrava. Ninguém pediu. Teve remake bom, moderno e  em HD exibido há pouco tempo (Corações Feridos). Imagem completamente horrível. Exibida em horário local (depois mudou). Sem divulgação. Estreou do nada. Envelheceu. Imagem pesada e antiga para a atualidade.

6 pontos arredondados: Mediana; fraca. (Foi muito mal no começo, mas subiu em novo horário – antes do sucesso “Cuidado com o Anjo”. Subiu, mas foi carregada, dependia dos programas anteriores e sucessores).


2016

A Usurpadora – Reprise de 2016

Exibida um ano após a exibição que havia ido bem. Estreou em faixa local (depois mudou). Não teve divulgação. Saturada. Mudou várias vezes de horário.

5 pontos: Fracasso ( Passou quase a exibição inteira dando 3/4 – Foi muito mal no começo, mas com novo horário subiu e terminou com 5. Ajudou a piorar a situação das tardes que estava fraca desde a estreia do “Fofocalizando” – a meta já havia deixado de ser 5 há tempos).


2017

Rubi – Reprise de 2017

Tempo bom para a reprise anterior. Mas, cansou (havia ido muito bem na exibição anterior – chegou a liderar e tudo). O público não pediu reprise nova. Muito conhecida. Imagem desgastada nessa exibição.

6 pontos: Mediana (subiu a faixa da antecessora, que caiu novamente após o seu fim. Cumpriu o seu papel num tempo conturbado de exibição, mas não bombou como se esperava).


No Limite da Paixão – Reprise de 2017

12 anos da primeira exibição. Não foi sucesso em exibição original. O público não lembrava. O público também não pediu. Imagem desgastada. Envelhecida (se tornou antiquada, descabida, ultrapassada). Drama excessivo e completamente lenta para a atualidade (substituiu uma novela muito ágil).

Média parcial: 5 pontos (passa a maior parte do tempo variando entre 4,5 e 5,0) – pior audiência dos últimos 3 anos (ainda derrubou 1 ponto da antecessora e atrapalha a sucessora) – a audiência dos programas anteriores também não ajuda nada.

Comentários