Entrevista com Luis Manuel Ávila, ator e cantor mexicano, querido no Brasil.

Luís Manuel Ávila ou  Luisma. Nascido em 30 de janeiro de 1971, no México, ingressou na Universidade Nacional Autônoma do México (UNAM) para estudar administração de empresas. Estreou no Teatro em 1991, com a  obra El Juego que Todos Jugamos.

Sua estreia oficial na TV foi no Programa Hoy  com Daniela. Aqui no Brasil, tivemos o privilégio de conhecer  Luis Manuel  através do querido personagem Tomás Mora, e é claro que nos apaixonamos por ele. Seu mais recente trabalho  foi o emocionante “Pepón” Cano cativante pescador na novela El Bienamado.

Carinhosamente, hoje Luis concede ao SobreTV uma entrevista incrível, que eu Danny Moura, vou ter a honra de conduzir . Em nome de toda equipe eu agradeço. Seja bem vindo Luis Manuel.


D – Você sabe que Tomás Mora é adorado aqui no Brasil. Para você, existe um personagem especial?

A: Todos os personagens que eu tive a sorte de interpretar nos mais de 26 anos de carreira em diferentes mídias e cenários têm sido especiais. Claro Tomás Mora (o mais bonito feio) e Junior  P. Luche de La Familia P Luche, foram os mais lembrados pelo público em um nível maciço e então eles têm um lugar separado no coração e na mente das pessoas amáveis que seguem minha carreira.

D – El BienAmado  é um sucesso e Pepón é encantador . Você já tem projetos para depois do fim da novela ou vai descansar?

A: Felizmente o meu trabalho me fascina, então eu o considero como umas férias permanentes. Risos. O projeto imediato, uma vez que a telenovela está terminada, será para arredondar a estreia do meu programa de rádio pela Internet, tenho trabalhado com a minha equipe na cabine e temos a pré produção quase pronta. O programa será chamado  Aqui te Dejo Tu Micro,   será basicamente entrevistas com um grande toque musical escolhido  por  mim e por meus convidados. Você pode nos ouvir segunda-feira, quarta e sexta-feira às 11 da manhã de México ( 13:00 de Brasil ) através do site www.eskucharadio.com.mx.

D – Seu personagem Pepón tem algo de Luisma?

A: Todos os meus personagens têm. A alma do ator é uma grande caixa de ferramentas que vamos usando dependendo das características e da ficção a ser  criada . No caso de Pepón, guiado como sempre por  meus diretores de cena, trabalhamos principalmente sua  pureza, solidariedade, honestidade, sinceridade e fé profunda na promessa que fez seu Padroeiro O Santo Senhor dos Navegantes .

Em gravações de El Bienamado. (Foto: Reprodução)

D – O que você acha da promessa de Pepón? Você faria algo assim?

A: O  fato de considerar algo assim é um grande compromisso com a vida. Acho que é algo como o que eu prometi a mim mesmo , quando eu abracei minha profissão e decidi trabalhar sempre com grande honestidade,  e alma exposta dentro e fora da cena. E eu tenho certeza que Deus como um ser supremo, tem muito a ver com cada passo que damos.

D – Como foi atuar em uma adaptação da novela brasileira?

A: A partir da transmissão de La Fea Mas Bella  em seu país, a minha relação com a linda gente brasileira tem sido mágica. O fato de que  El Bienamado, tenha sido uma adaptação brasileira,  representou um grande compromisso de trazer para um bom  lugar  o personagem que a mim foi confiado,  e mais, sabendo que o meu antecessor na versão original foi  alguém tão querido e lembrado no Brasil, como o grande Milton Gonçalves.

D – Com quem, o cantor Luis Manuel, gostaria de dividir  o palco?

A: Então, em um nível genérico, eu diria que com qualquer artista que nunca perdeu a emoção para levar a  música para a alma de quem nos ouve. Nomes são muitos. Não importa a língua ou nacionalidade.  A música é universal.

D – Dentre seus  seus personagens, com os quais você se identifica mais , e qual foi o mais difícil de interpretar?

A: Eu me identifico com todos. Como eu lhe disse antes, invariavelmente cada um tem algo de mim. As dificuldades existem sempre em qualquer processo criativo, mas  isso é parte da emoção em uma profissão como esta. Agora, as cenas dos voos  de Pepón em  El Bienamado me  levaram a experimentar  diferentes tipos de altura,  acoplado a um par  asas, cenas de ação no mar, mas não conformando-se com isso, nossos escritores e diretores vieram  com a idéia inesperada de me colocar em uma asa delta para mais de 600 metros de altura! … E foi uma experiência incrível.

D – Qual comediante é a sua inspiração?

A: Nossa, são muitos, hahaha… Nem todos são totalmente comediantes, mas  eles têm levado a comédia como uma parte importante em suas carreiras: Robin Williams, Charlie Chaplin, Jim Carrey, Graham Norton, Joan Rivers… E no México, é claro, Eugenio Derbez.

D – Na comédia e na vida precisamos de limites. De quais  temas  você não faz piadas?

A: A coisa mais mortal para fazer comédia é autocensura. Haverá sempre alguém que pode sentir -se aludido no  tema  que você está abordando. No entanto, você tem que ter  suficiente inteligência para trabalhar humor de tal forma, que o objetivo principal nunca seja  a pessoa em questão, mas a situação em que essa pessoa estava envolvida. Que o torna genérico e mais fácil para o espectador se sentir identificado. Ele nunca vai ser a pessoa em questão, mas se pode se ver em uma situação semelhante que tenha estado.

D – Se houvesse uma turnê mundial de La Fea, você faria?

A: Quando começamos? Risos … apenas me de  datas de início e minhas malas estarão mais que prontas  para viajar e relembrar esse projeto lindo !

D – O  que os fãs representam em sua vida?

A: Eles são a extensão da alma que nós artistas deixamos  em todos os projetos que realizamos… Há  muito tempo,  no Rio de Janeiro, uma linda brasileira, a Maria dos Santos criou uma Fan Page no Facebook, página dedicada inteiramente à minha carreira. Detalhes como esse, eu só posso  mais do que agradecer do fundo de meu coração.

D – Você tem sonhos para realizar? Pode nos contar?

A: TODOS!  Os sonhos nunca acabam, são livres e ilimitados… um sonho próximo?… Colocar um sucesso musical em todo o mundo… A oportunidade de  que um personagem cinematográfico alcance a alma ao público e… por que não?… ganhar um Oscar! Risos.

D – Luis Manuel, novamente, eu agradeço por seu carinho e atenção conosco. Deixo o espaço aberto, quando quiser estaremos aqui para você. Em nome de seus fãs brasileiros, deixo meu abraço e os mais sinceros desejos de sucesso. Obrigada. Abraços do Brasil em seu coração.

A: A todas as pessoas amáveis que viram qualquer um dos meus personagens, eu quero dizer obrigado por me  receber em suas telas e em seu coração… e espero que eu possa visitá-los.

Comentários