Portal SobreTV
Televisão é Transmídia!

“Câmera Record” mostra a rotina do Porto de Santos (SP) neste domingo (6)

Programa mostra o dia a dia do maior complexo portuário da América Latina

Com exclusividade, o Câmera Record deste domingo (6) mostra o dia a dia do Porto de Santos, localizado no litoral de São Paulo.

Um mundo de dimensões astronômicas! Oito milhões de metros quadrados de área útil — o equivalente a 1200 campos de futebol. Quarenta milhões de toneladas de cargas movimentadas por ano. Quarenta mil funcionários trabalhando a todo vapor. Um vai e vem de produtos que não para nunca.

Ao longo de três meses, o Câmera Record acompanhou o movimento frenético e incessante do maior complexo portuário da América Latina: o Porto de Santos.

Os repórteres Rogério Guimarães, Laura Ferla, Priscila Grans e a editora Fabiana Vilella descobriram histórias surpreendentes de quem tem a missão de proteger a riqueza que entra e sai do nosso País. Só nos dois primeiros meses de 2017, o Porto de Santos comercializou cerca de 45 bilhões de reais.

Lá, nada pode dar errado com a circulação dos navios. É necessário técnica para manobrar esses gigantes dos mares. O veterano Fábio Fontes é o prático mais experiente do Brasil. Ele é responsável por conduzir os navios pelos estreitos canais que dão acesso aos terminais do porto. “Não pode botar 300, 500 práticos que teremos navios batendo, encalhando, tendo acidente toda semana”, explica ele.

Quando acaba o trabalho de Fontes, começa o de outra funcionária do porto. Com força nas mãos e na garganta, Maria Denizete cuida para que os navios sejam amarrados a blocos de concreto.  Denizete não está lá à toa. “Eu falo para todo mundo: gosto de desafio! Gosto de fazer algo que nunca fiz. Então, isso aqui eu nunca havia feito.  Quando comecei a fazer: ‘Gente, nunca imaginei…e gostei!'”, conta.

A amarradora está há quatro anos no Porto de Santos. Ganha apenas 1.200 reais por mês. Trabalha cinco dias por semana e folga um. E tem que cumprir seis horas de expediente. “Quem amarrava navio eram só homens. Então, normalmente, eram os caminhoneiros. A gente passava muito por eles e eles ficavam parados olhando a gente trabalhar e falavam: ‘Vocês estão tomando o lugar dos homens’…e a gente só respondia: ‘Sim, filho, é só fazer concurso!’, relembra.

Frieza, coragem e precisão nas alturas. Adenílson trabalha a 40 metros do chão. Da cabine do aparelho conhecido como “portêiner”, ele opera o “super-guindaste”. A tarefa dele é retirar o contêiner de um caminhão e transportar para o navio. “Eu faço isso daqui igual a gente cozinha arroz e feijão!”, brinca ao responder se tem medo de altura.

Se nas alturas todo cuidado é pouco, embaixo não é diferente. Carregar os navios com veículos que serão exportados requer habilidade e muito cuidado. Nossos repórteres acompanharam o trabalho de Cristiano. Ele é um dos movimentadores do Porto de Santos — manobristas de carros novinhos em folha. Cada movimentador dirige, em média, 500 carros por dia, com um salário de 1.400 reais.

“Você tem que ter muito cuidado com o carro?”, pergunta o repórter. “Com certeza! Sei que uma pessoa que vai “aderir” a um veículo desse pode ser eu, pode ser você, pode ser qualquer um outro. Ainda mais que ainda vai para outro País. A gente tem que representar nosso trabalho”.

Você também vai conhecer o outro lado do Porto de Santos. Do glamour dos antigos cabarés frequentados por marinheiros à decadência da prostituição de rua. Quem trabalhava nos antigos prostíbulos da região relembra daquela época com certa nostalgia.

“Lindo, os marinheiros, as prostitutas, toda de lantejoulas, de salto alto, todas educadas, muito amorosas, sentava com eles como uma dama da noite. Era lindo, muito lindo [rindo]. Ah! Eu ficava encantada. É verdade. Não estou mentindo”, recorda a mulher que não quer mostrar o rosto nem revelar o nome.

E mais: o flagrante de quase meia tonelada de cocaína escondida dentro de um contêiner. E a vila abandonada onde viviam funcionários da usina que, até hoje, gera energia para o porto.

Câmera Record vai ao ar neste domingo (6), a partir das 23h15, logo depois do Domingo Espetacular, na Record TV.

Comentários